-

  • Biblioteca Escolar - Escola Secundária de Vila Real de Santo António
  • quinta-feira, outubro 29, 2009

    Parabéns Asterix


    Parece que foi ontem, mas os invencíveis gauleses já têm meio século. Pobre Júlio César que tanto sofreu com este par tão corajoso.
    Ver a história no JN

    quarta-feira, outubro 28, 2009

    O Símbolo Perdido


    A edição portuguesa do novo livro de Dan Brown, «O Símbolo Perdido», já se encontra à venda, desde a meia-noite, em várias livrarias das lojas Bertrand, Fnac e Tangerina, da Galp.

    O livro arranca com uma tiragem inicial de 140 mil exemplares, após ter vendido um milhão de exemplares em apenas 24 horas, durante o lançamento da obra nos EUA, Reino Unido e Canadá, a 15 de Setembro.

    A história de «O Símbolo Perdido» decorre ao longo de 12 horas, em Washington DC, cidade repleta de elementos maçónicos e monumentos ricos em simbolismos místicos.

    O enredo começa com um acontecimento macabro, uma mão decepada aparece na Rotunda do Capitólio, sobre uma estaca, com duas tatuagens, uma no dedo indicador outra no polegar, no exacto instante em que Langdon se prepara para iniciar uma palestra no National Statuary Hall a convite de Peter Solomon, o homem que foi mutilado.

    «Para o ajudar as desvendar as motivações por detrás deste acto bárbaro Robert Langdon vai contar com a ajuda de Katherine Solomon, uma investigadora das ligações entre o corpo e a mente, numa saga que envolve os segredos da Maçonaria nos E.U.A e os seus símbolos ocultos, bem como antigas autoridades americanas», refere a Bertrand.

    As lojas da Bertrand abertas à meia-noite de quinta-feira são as seguintes: Forum Madeira; São João da Madeira;
    Aveiro; Braga Parque; Júlio Dinis; Norte Shopping; Vila Real; Maia; Antas; Gran Plaza; Estação Viana; Campo pequeno;
    Olivais; Roma; Amoreiras; Vasco da Gama; Chiado; Torres Vedras; Odivelas; Colombo; DolceVita Coimbra; Forum Coimbra;
    Castelo Branco; Caldas; Guarda; Santarém; Figueira da Foz; Palácio do Gelo; Forum Viseu; Almada Forum e Portimão

    segunda-feira, outubro 26, 2009

    Alunos em viagem




    Hoje, a turma C do 7º ano foi à Biblioteca Municipal conversar com o autor e ilustrador Pedro Seromenho.
    Foi um sucesso!!! :) Acompanhados pelas professoras Dora (artes), Inês (informática) e Carmo (profª bibliotecária) os alunos fizeram perguntas e saíram encantados com a possibilidade de um livro ser escrito com palavras e desenhos.
    Todos esperamos ter mais notícias deste ilustrador/autor.
    Os seus livros, desde já disponíveis na biblioteca são:
    -A Nascente de Tinta
    -O Reino do Silêncio
    -900 História de um Rei
    podemos ter mais notícias dele em

    domingo, outubro 25, 2009

    Renovado


    O site do PNL está totalmente diferente. Vale a pena visitá-lo.

    sábado, outubro 24, 2009

    National Gallery of Art


    Esta página é dedicada ao museu National Gallery of Art sediado em Washington D.C. Nele há várias actividades para crianças e jovens, como por exemplo vestir a pele de uma boneca e descobrir os cantos de uma casa típica da burguesia holandesa. E muitas outras surpresas...

    sexta-feira, outubro 23, 2009

    Para os mais velhos


    «Hoje está aqui sintetizado o que somos, vivemos e dizemos há mais de 40 anos, cada um à sua maneira. Contem com com isto de nós. Que cantemos, sempre», disse a certa altura do primeiro concerto dos Três Cantos, José Mário Branco. Uma frase à laia de introdução que chegou já quando o Campo Pequeno estava completamente rendido ao espectáculo que Branco, os seus amigos e companheiros na música para abanar consciências e estremecer corações, Sérgio Godinho e Fausto Bordalo Dias, e os 20 músicos que os acompanharam esta noite, prepararam com tanto cuidado e delicadeza. Talvez porque por essa altura já tivessem ecoado pela sala lisboeta 'Guerra e Paz' de Godinho logo a abrir, ou 'Travessia do Deserto' de Zé Mário Branco, e também 'Como Um Sonho Acordado' de Fausto.

    É que com tanta história para cantar só podia dar uma noite histórica, a primeira de quatro entre Lisboa e Porto. E cedo se percebeu que as vozes dos três nomes-mor desse cancioneiro que todos temos na ponta da língua, não só estavam em harmonia musicalmente como eram os Três Cantos de um triângulo perfeito, composto pela emotividade e a jovialidade de Zé Mário Branco, a imprevisibilidade e a força de Sérgio Godinho e a candura iluminada pela ironia de Fausto. Num alinhamento que evocou álbuns indispensáveis do património musical português, tais como "Ser Solidário", "Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades", ambos de Zé Mário Branco, "Por Este Rio Acima" de Fausto ou "Os Sobreviventes" de Godinho, não faltaram lágrimas nos olhos dos assistentes mais emotivos, homens e mulheres que cresceram ao som de canções como 'Inquietação', 'O Velho Samurai', 'Se Tu Fores Ver o Mar (Rosalinda)' e 'Quatro Quadras Soltas' - numa versão cheia de energia com o protagonismo dos sopros. Ou que se emocionaram com os poemas de 'Barca dos Amantes' ou 'Não Canto Porque Sonho' (poema de Eugénio de Andrade musicado por Fausto) e que sonharam ao som de 'Que Força é Essa', 'Maré Alta' e 'Não Saber o que Se Espera', tema de Zeca Afonso, aqui recuperado pelos seus três amigos.

    A maior parte dos temas são cantados a três vozes pelas estrelas da noite, mas há também espaço para momentos a solo, como o de Zé Mario Branco que chama a palco José Peixoto e Carlos Bica para interpretar em tom de jazz 'Onofre', e o de Sérgio Godinho, para o arrepiante coro geral em 'O Primeiro Dia'. Já Fausto optou por evocar em exclusivo o disco já deste século, "A Ópera Mágica do Cantor Maldito", com destaque para o entusiasmo colectivo no refrão de 'A Nova Brigada dos Coronéis de Lápis Azul'. E como o prometido é devido, ouviu-se na sala lisboeta um inédito da autoria de Godinho e Branco, chamado 'Faz Parte (Ou o Retorno das Audácias)'.

    No final, e perante uma prova de amor do público que é correspondida com dois encores, alguém sobe a palco para entregar três cravos, aos Três Cantos. «A liberdade passa por aqui» canta Godinho no encore. Esta noite também passou pelo Campo Pequeno e gostou tanto que ficou lá, bem sentada na beira do palco.

    Rita Tristany (jornalista da Radio Cotonete e ex-aluna da nossa escola)
    Fotos: Nuno Fontinha

    Novo Astérix


    ‘O Aniversário de Astérix e Obelix, Livro de Ouro’ chegou esta quinta-feira às mãos dos fãs. O lançamento aconteceu à meia-noite no Centro Comercial Colombo, em Lisboa.



    Com uma edição total de 3,5 milhões de exemplares, o lançamento aconteceu em 18 países em simultâneo. O novo álbum, com pranchas inéditas assinadas por Albert Uderzo e Goscinny, falecido a 5 de Novembro de 1977, comemora o aniversário de 50 anos dos quase 500 personagens.

    A expectativa fez-se notar entre os fãs. “Vim a correr do trabalho. Espero que seja tão interessante como os outros e que não represente o fim”, disse Luís Costa ao CM.

    O novo álbum reúne os personagens dos 33 livros anteriores numa festa organizada para comemorar o aniversário de Astérix e Obelix e, de acordo com Maria José Pereira, Editora de banda desenhada da ASA, há uma critica implícita: “Quando cheguei ao fim achei que há uma crítica a duas super potências - EUA e Japão – feita através de duas personagens.”

    Com 325 milhões de cópias vendidas e traduções em mais de 100 línguas e dialectos, o irredutível gaulês é considerado uma das personagens mais famosas de banda desenhada.

    (CORREIO da MANHÃ)

    segunda-feira, outubro 19, 2009

    Cores


    Que tal? O autor chama-se Friedensreich Hundertwasser

    Onda Suzy Lee



    Sem palavras. Assim é contada a história em Onda, livro-imagem da jovem coreana Suzy Lee. Hit dos verões (e invernos) em diversos países, publicado originalmente nos Estados Unidos, já ganhou outras versões pelo mundo. Ao todo, são 100 mil exemplares vendidos, em apenas um ano. Universal como o mar, as imagens relatam o primeiro encontro da menina com o oceano. Ela corre para a beirada da praia. No início, o mar chega de mansinho. Temendo o desconhecido, a menina recua. Depois, põe-se a provocá-lo. E então, a menina e a onda dividem os sustos e a admiração deste encontro. Com poucos traços a carvão, Lee ilustrou em azul, preto e branco o ruído das águas, o bater de asas das gaivotas, o vento que balança o vestido da criança e a conversa silenciosa que se estabelece ao longo da narrativa. Detalhista, manuscreveu o título das edições estrangeiras, inclusive o deste. As recompensas multiplicam-se a cada leitura. Você lerá este livro como nos parece a extensão do mar: infinitamente. (Site brasileiro)

    sábado, outubro 17, 2009

    Educação


    Visita o museu de Camberra
    O Museu Nacional da Austrália dedica no seu site um espaço para crianças com um jogo com vários níveis de dificuldade. Promove também a educação através de vários concursos destinados a estudantes.

    Mundo do Cinema


    Queres ficar a par das novidades do mundo do cinema? espreita os trailers da Paramount.

    quinta-feira, outubro 15, 2009

    Máquinas de Vender Livros


    A terceira leva da colecção de bolso da LeYa estará disponível a partir da próxima sexta-feira (dia 22), com um preço de 5,95 euros por exemplar. Além do circuito de distribuição habitual (livrarias, supermercados, aeroportos e estações de caminho de ferro), os livros poderão igualmente ser encontrados em máquinas de venda automática, semelhantes à que foi testada na Feira do Livro de Lisboa.
    Eis a lista dos 15 novos títulos da BIS:

    - Contos Populares Portugueses, de Adolfo Coelho
    - Gaibéus, de Alves Redol
    - O Anjo Ancorado, de José Cardoso Pires
    - A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós
    - O Último Cais, de Helena Marques
    - Nas Tuas Mãos, de Inês Pedrosa
    - A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho, de Mário de Carvalho (incluída no PNL, Plano Nacional de Leitura)
    - A Morte do Palhaço e o Mistério da Árvore, de Raul Brandão
    - Daqui a Nada, de Rodrigo Guedes de Carvalho
    - Aventuras de Sherlock Holmes, de Arthur Conan Doyle
    - As Aventuras de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe (incluída no PNL)
    - O Processo, de Franz Kafka
    - Frankenstein, de Mary Shelley
    - Travessia de Verão, de Truman Capote
    - O Operário em Construção, de Vinicius de Moraes

    Mais informações no blogue da BIS.

    quarta-feira, outubro 14, 2009

    Feira de Frankfurt


    Público - Boas-vindas à China e turbulência digital em Frankfurt

    Shared via AddThis

    Novo Quadro de Leonardo da Vinci


    Peritos de arte acreditam ter encontrado um novo quadro do pintor italiano Leonardo da Vinci, devido à descoberta de uma impressão digital com 500 anos.Lê notícia completa.

    segunda-feira, outubro 12, 2009

    Feira da Praia



    A tradição da Feira da Praia não vai acabar.

    quarta-feira, outubro 07, 2009



    Código de Barras


    Às 8:01 da manhã de 7 de outubro de 1974, um cliente do supermercado Marsh's em Troy, no estado norte-americano de Ohio, fez a primeira compra de um produto com código de barras. Era um pacote com 10 chicletes Wrigley's Juicy Fruit Gum. Isso deu início a uma nova era na venda varejista, acelerando os caixas e dando às companhias um método mais eficiente para o controle do estoque. Aquele pacote de chiclete ganhou seu lugar na história e está atualmente em exibição no Smithsonian Insititute's National Museum of American History (em inglês). Aquela compra histórica foi o ponto de partida para quase 30 anos de pesquisa e desenvolvimento. O primeiro sistema para codificação automática de produtos foi patenteado por Bernard Silver e Norman Woodland, ambos estudantes graduados pelo Drexel Institute of Technology (Instituto de Tecnologia Drexel), agora Drexel University (Universidade Drexel). Eles usaram um padrão de tinta que brilhava debaixo de luz ultravioleta. Esse sistema era caro demais e a tinta não era muito estável. O sistema usado hoje foi descoberto pela IBM, em 1973, e usa leitores criados pela NCR.

    Em Portugal, o código de barras surgiu pela primeira vez em 1985. O código de país de origem para Portugal é "560" (lê-se no início do código). Já no Brasil, o código de barras teve início operacional implantado na década de 90.
    Se queres saber mais vai à Wikipedia

    terça-feira, outubro 06, 2009

    segunda-feira, outubro 05, 2009

    Implantação da República


    Preparação das comemorações para o Centenário da Implantação da República nas escolas.

    domingo, outubro 04, 2009

    Ler+


    "Leia mais". Ler mais é um bom conselho que nos dá este anúncio, ainda por cima de uma forma criativa. A publicidade criativa foi sempre um tema que nos apaixonou aqui no obvious.

    quinta-feira, outubro 01, 2009

    La Flor más grande del Mundo

    Relato para niños (y adultos) escrito y narrado por José Saramago. Un corto colmado de símbolos y enigmas, destinado a una infancia que crece en un mundo quebrado por el individualismo, la desesperanza y la falta de ideales. Cortometraje de animación intervalométrica combinada con dos dimensiones.

    Dirección: / Juan Pablo Etcheverry
    Guionista: / Juan Pablo Etcheverry
    (adaptada de "A maior flor do mundo" de José Saramago)
    Ilustración: / Diego Mallo
    Produción: / Chelo Loureiro

    Vote for People's Prize

    Vote for People's Prize

    Shared via AddThis

    Dia Mundial da Música


    «Porque a alma penetra mais fundo na alma humana»
    PLATÃO