-

  • Biblioteca Escolar - Escola Secundária de Vila Real de Santo António
  • segunda-feira, julho 21, 2008

    "AS IDADES DO PENSAR"

    "Aos 10 anos todos nos dizem que somos espertos, mas que nos faltam ideias próprias. Aos 20 anos dizem que somos muito espertos, mas que não venhamos com ideias. Aos 30 anos pensamos que mais ninguém tem ideias. Aos 40 anos achamos que as ideias dos outrso são todas nossas. Aos 50 pensamos com suficiente sabedoria para já não ter ideias. Aos 60 ainda temos ideias mas esquecemos do que estávamos a pensar. Aos 70 só pensar já nos faz dormir. Aos 80 só pensamos quando dormimos"

    (Fala de Bartolomeu Sozinho, personagem de Venenos de Deus, Remédios do Diabo, de Mia Couto, Editorial Caminho)

    MEMÓRIA DAS LETRAS

    Abriu em Faro um espaço para livros. Tenho alguma dificuldade em chamar-lhe livraria porque não é só isso. Tem livros. Não muitos, que a escolha quer-se criteriosa. Para além das novidades, podemos encontrar obras que nas livrarias "tradicionais" desaparecem ao fim de pouco tempo, tanto no campo da literatura como noutros domínios (ciência, filosofia, sociologia).

    O espaço é muito e agradável. Para além da zona dos livros há a zona de exposições e tem um jardim com sofás, mesas e livros e uma figueira. Carregadinha. À espera da colheita.

    O Pátio das Letras + Espaço Memória situa-se na rua Cândido Guerreiro, nº 26-30, é a casa amarela. Fica entre o Mercado Municipal e a avenida 5 de Outubro. Talvez assim seja mais fácil. Não deixem de ir lá. Vale a pena conhecer um espaço onde ainda se respira e vê livros a sério.

    sexta-feira, julho 18, 2008

    REVISTA SULSCRITO - CC ANTÓNIO ALEIXO

    Decorre amanhã, 19 de Julho, a apresentação da revista Sulscrito no Centro Cultural António Aleixo, pelas 18:00, bem como uma tertúlia com alguns escritores.
    Para mais informações ir aqui.

    quinta-feira, julho 17, 2008

    Fundação Aga Khan e PNL



    Com duração de três anos rede Aga Khan assina com o Governo protocolo de apoio ao Plano Nacional de Leitura

    A Rede Aga Khan para o Desenvolvimento, que agrega sete agências de diferentes áreas, assinou hoje com o Governo português um protocolo de apoio ao Plano Nacional de Leitura que tem a duração de três anos. Segundo o protocolo, a Rede Aga Khan apoiará 300 escolas do ensino infantil e pré-escolar através da compra para as respectivas bibliotecas de livros no valor de 150 mil euros. Este protocolo é válido nos mesmos termos para 2009 e 2010.

    Fonte da fundação Aga Khan, uma das sete agências que integram a Rede, afirmou que estes apoios não têm qualquer carácter confessional e visam apenas apoiar a primeira infância, o que tem sido uma das preocupações do príncipe Aga Khan, que celebra este ano o seu jubileu de ouro. A mesma fonte salientou o trabalho que tem sido feito nos bairros lisboetas da Ameixoeira e Alta de Lisboa e em Mira Sintra no âmbito do programa de desenvolvimento comunitário "Kcidade".

    O ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, presente na cerimónia, salientou o "simbolismo" desta parceria com a Fundação Aga Khan e afirmou que, "quanto mais fundações e associações se unirem, mais arrastam outras". Segundo o ministro, "um milhão de crianças beneficia da intensificação de actividades ligadas ao Plano Nacional de Leitura".

    Nazim Ahmad, em representação da Fundação Aga Khan, com a qual foi firmado o protocolo apontou a educação como uma das prioridades da Rede, que funciona em 30 países e na qual trabalham 60.000 pessoas. Ahmad sublinhou que "a primeira palavra de Deus ao profeta Maomé foi 'lê', que tem o símbolo 'iqra' patente nos logótipos de quatro das sete agências" da Rede criada pelo Príncipe Karim Aga Khan. "A promoção da literacia e do intelecto é um dos aspectos centrais da tradição de fé Muçulmana", disse.

    Na assinatura do protocolo estiveram também presentes o ministro da Cultura, José António Pinto Ribeiro, o secretário de Estado adjunto da Educação, Jorge Pedreira, e a coordenadora do Plano Nacional de Leitura, Isabel Alçada.

    quarta-feira, julho 16, 2008

    Livros de papel na net


    O objectivo do SHELFARI é ler livros e explorá-los Podes construir uma prateleira virtual de livros, socializar com outros leitores e participar em debates. O único risco é viciares-te. Procura em www.shelfari.com

    segunda-feira, julho 14, 2008

    MICRO-FICÇÃO OU A BELEZA DA BREVIDADE

    Não deixar de ler Efeito Borboleta e outras histórias de José Mário Silva. Curtas e muito curtas (cada conto ocupa cerca de página e meia), estas histórias tratam de muita coisa: sonhos, vinganças, traições, amores felizes e funestos, brincadeiras (síntese retirada da badana da capa)... e o resto é para descobrir.


    Deixo aqui algumas sugestões:
    "38 MINIATURAS

    Fósforos
    Dentro de cada caixa de fósforos, dezenas de incêndios adormecidos.

    Enxoval
    Para o seu casamento levou tudo o que era suposto (excepto a paixão).

    Fatalidade
    O rosto que mereces está sempre noutro espelho.

    Crise de Identidade
    Andava tão confuso que criou um heterónimo chamado Fernando Pessoa."

    O MELHOR BOOKER PRIZE DE SEMPRE

    Nas comemorações dos 40 anos do prestigiado prémio literário, o Booker, o livro Os Filhos da Meia-Noite de Salman Rushdie ganhou o Booker Prize de sempre. Este livro já tinha ganho o Booker de 1981 e o Booker de sempre aquando do 25 anos do prémio.

    Não deve ser fácil encontrar o livro nas nossas livrarias, numa pesquisa que fiz pela net obtive esgotado como referência. A belíssima capa pertence à editora Dom Quixote.

    segunda-feira, julho 07, 2008

    Aqui há gato...


    Há uns anos o professor Fernando Évora passou pela nossa escola. Depois foi-se embora. Como o gato... Mas escreveu Como se de uma Fábula se Tratasse, a maravilhosa história de um bichano que faz sair da sua muitas outras histórias. São inúmeras as personagens que passam pelas vidas deste gato, umas felinas, outras humanas (as vidas e as personagens), todas elas com nomes tão conhecidos como Gato Esteves (o muçulmano Cat Stevens), o Rex (o da televisão austríaca), a Pretinha, o Sr. Brites, o Sr. Capitão (de nome e não de posto) e até um galo Tenório. E mais não digo, nem sequer o(s) nome(s) do gatinho que tanto viajou para se aconchegar em tantos colos... para ir ter sabe-se lá onde, como todos nós, como todos os gatos.

    Casa Fernando Pessoa


    Um universo plural

    Inaugurada em Novembro de 1993, a Casa Fernando Pessoa foi concebida pela Câmara Municipal de Lisboa como um espaço público destinado a homenagear Fernando Pessoa e a sua memória na cidade onde viveu e no bairro onde passou os seus últimos quinze anos de vida, Campo de Ourique.
    Possuindo um auditório, jardim, salas de exposição, objectos de arte, uma biblioteca exclusivamente dedicada à poesia, além de uma parte do espólio do poeta (objectos e mobiliário que pertenceram ao poeta e que são actualmente património municipal), a Casa Fernando Pessoa é também um pequeno universo polivalente onde, nos seus três pisos principais, se realizam colóquios, sessões de leitura de poesia, encontros de escritores, conferências temáticas, workshops, exposições de artes plásticas, sessões de apresentação de livros, ateliers para crianças, visitas guiadas, numa programação o mais possível diversificada.

    Pub. em Os Meus Livros nº65

    http//casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/

    domingo, julho 06, 2008

    VIEIRA DA SILVA, AINDA

    NOTA PRÉVIA: 1º - Sou apaixonada por Vieira da Silva. Acompanha-me há já muitos anos. Nunca me canso de olhar para as suas telas, nunca paro de descobrir novos labirintos e este ano é também o ano de Vieira da Silva, como já demos nota mais abaixo. 2º - Adoro as capas do Jornal de Letras (JL); guardo religiosamente algumas (as do antigo suplemento Mil Folhas, do jornal Público, também eram soberbas e estão guardadas com as do JL).
    Posto isto, o que faz uma pintora aqui? Porque pintou muitas Bibliotecas; porque O JL da primeira semana de Junho dedica-lhe bastante espaço a propósito de um conjunto de cartas inéditas tornadas públicas. João Gaspar Simões, Agustina Bessa Luis e Mário Cesariny revelam-nos uma outra Vieira da Silva. Correspondências, a editar em Setembro pela Assírio&Alvim, documenta a relação da pintora com o poeta e artista plástico Mário de Cesariny.

    Pela casa de Vieira da Silva e Arpad Szenes, em Paris, passaram muitos artistas portugueses. É com um sorriso de muito humor que transcrevo a abertura do artigo no JL sobre a passagem de um deles: "Certa vez que Jorge Martins passou uma temporada na casa Maria Helena Vieira da Silva em Paris, enquanto a pintora foi para a casa de campo em Yevre, ela pediu-lhe que arrumasse a sua biblioteca. O pintor tomou a tarefa a peito, procedendo a uma meticulosa arrumação de A a Z, por autores e géneros, como mandará a ciência do mais eficiente bibliotecário. Difícil terá sido esconder um assomo de orgulho perante a obra feita. Vieira, porém, estranhou o critério adoptado. «Queria que tivesse arrumado por cores e tamanhos», comentou". Era assim a Bicho.
    Ana, Isabel, Ana Cláudia, Maria do Carmo, como ficaria bonita a nossa biblioteca arrumadinha assim, não concordam? Mas, se calhar, os critérios estéticos para hierarquizar os tamanhos e as cores levantariam mais dúvidas do que seguir o Catálogo!

    Para saber mais, consultar o JL na nossa Biblioteca, ou seguir o link na nossa barra direita.

    As fotos são retiradas também do jornal. A segunda foto é uma quase distorção feita por mim a partir de um retrato da artista feito por Arpad Szenes.
    Adenda: peço desculpa à Ana, à Isabel e à Ana Cláudia por as ter pendurado assim, mas a máquina está a vencer-me e depois de uns bons minutos neste post não me apetece apagar e começar tudo de novo. Também não ficam mal assim!!

    GALERIA DE FOTOS

    Enquanto não domino (quer dizer, domestico) as ferramentas virtuais aqui fica o link para as fotos que se vão publicando no livrosietc: http://picasaweb.google.com/home. Ainda está tudo avulso, mas prometo que ficará um lindo retrato de família.

    JÁ NAS BANCAS

    Para LER devagarinho. Em Agosto está de férias.