-

  • Biblioteca Escolar - Escola Secundária de Vila Real de Santo António
  • quarta-feira, abril 30, 2008

    segunda-feira, abril 28, 2008

    SEMANA DA LIBERDADE - IV






    Na 5ª feira, 24 de Abril, o dia foi ocupado com várias actividades alusivas ao 25 de Abril, à Liberdade, ou falta dela, à PIDE, aos Direitos Humanos, e em especial aos Direitos das Mulheres.
    Tivemos música, teatro, debates, filmes projectads (no bufete).
    Deixamos aqui algumas imagens dos vários momentos.






    (Clicar nas imagens para ver em tamanho real)

    CRIAR A LIBERDADE - II





    domingo, abril 27, 2008

    CONCURSO LITERÁRIO LUTGARDA G. DE CAIRES

    No dia 23 de Abril passado, para além do (En)canto da Poesia, a escola atribuiu os prémios aos alunos que concorreram ao I Concurso Literário Lutgarda Guimarães de Caires. Este concurso procurou estimular o talento de jovens escritores. Nele participaram dez alunos nas modalidades de Prosa e de Poesia e nas categorias A (até aos 15 anos) e B (a partir dos 15 anos).

    Os alunos premiados (1º, 2º ou 3º prémios) receberam vales (75, 50 e 25 euros, respectivamente) que vão ser reconvertidos em livros à escolha dos alunos. Todos os alunos receberam um certificado de partcipação.
    Os trabalhos premiados serão afixados na Biblioteca, mas aqui vai a divulgação virtual.

    Poesia

    Categoria A
    1º Prémio - Jaqueline Gonçalves, Saudade - 9º A
    2º Prémio - Ana Calafate e Beatriz Viegas, A Sentença - 9º A

    Categoria B
    1º Prémio - Andreia Leonardo Roberto, Sem título - 11º E
    2º Prémio - Keti Angelava, Afinal?? - 10º E
    3 º Prémio - Andreia Leonardo Roberto, A lua - 11º E

    Prosa

    Categoria B
    1º Prémio - Ana Teresa Salvador, Esta tua vida - 11º C

    (En)canto da Poesia - 2ª Edição






    Para assinalar o Dia Mundial do Livro, dia 23 de abril de 2008,realizou-se no átrio da escola a 2ª Edição (En)canto da Poesia, um projecto inserido na disciplina de Português para o 10º ano, no âmbito da Sequência de Aprendizagem: textos expressivos e criativos - poetas do século XX.
    Esta iniciativa foi alargada a outros níveis de ensino e contou com a participação dos alunos de várias turmas do 10º/11º dos Cursos Científico-Humanísticos e dos alunos do Curso profissional
    de Instrumentistas. Contou igualmente com a colaboração do Conservatório de Vila Real de Santo António.



    Nesta sessão, os alunos declamaram poemas de autores do século XX e da autoria dos próprios.

    Texto de Conceição Pires, fotografias de Ana Cláudia Dias

    sexta-feira, abril 25, 2008

    "A Poesia está na Rua"

    Vieira da Silva

    Esta é a madrugada que eu esperava
    O dia inicial inteiro e limpo
    Onde emergimos da noite e do silêncio
    E livres habitamos a substância do tempo

    Sophia de Mello Breyner Andresen

    LIBERDADE E IGUALDADE PARA TOD@S

    quarta-feira, abril 23, 2008

    CRIAR A LIBERDADE - I


    Alunas e alunos de várias turmas e anos criaram vários cartazes, que podem ser vistos em
    vários pontos da nossa escola, partindo dos temas Liberdade e 25 de Abril. Fica aqui uma
    pequena amostra.











    SEMANA DA LIBERDADE - III

    ESTÁTUAS DA LIBERDADE

    (as estátuas estão encostadas à janela e parede, na primeira fotografia)


    Hoje, depois do toque de entrada das 10:00, as alunas e os alunos do 10º TB construíram as suas estátuas da liberdade.

    REVISTA LER

    Depois de um longo interregno a revista LER volta a estar nas bancas, com direccção de Francisco José Viegas. Os livros e as artes outra vez em grande destaque na imprensa portuguesa. A partir de hoje, a não perder.

    PRESENTES PARA O L


    Para que nada lhe falte e esteja bem instalado, nada como estes presentes. Os nossos livros merecem o melhor.

    Para ver mais ir aqui.

    HOJE É O DIA L


    L...

    de ler
    de leitura
    de linha
    de letra

    de LIVRO.

    Hoje é o Dia Mundial do Livro.O melhor presente que lhe podemos dar é tirá-lo de uma estante e lê-lo.


    terça-feira, abril 22, 2008

    SEMANA DA LIBERDADE - II


    10º TB
    A MÁQUINA DA LIBERDADE

    (Ainda em construção, daí o número muito reduzido de peças, mas que a fotógrafa de serviço se esqueceu de registar, tal o entusismo a olhar para a máquina!)





    SEMANA DA LIBERDADE - I

    As turmas TB e TC, do 10º ano, apresentaram a "sua" liberdade. A assistência ultrapassou as expectativas, pois a sala ficou bem cheia.

    10º TC:
    BALADA DO MEDO
    de Joaquim Pessoa

    Eram quatro cavalos de silêncio negro.
    Quatro esporas ferindo as éguas do canto.
    Quatro asas de fumo sobre o pensamento.
    Quatro sombras de medo à volta da casa.

    Eram quatro nomes. E quatro navalhas.
    Eram quatro paredes. E quatro guardas.
    Eram quatro assassinos. E quatro espingardas.
    Eram quatro sorrisos. E quatro navalhas.

    Eram quatro. Eram quatro. E o meu peito batia.
    Quatro lanças no sangue. Quatro gritos na voz.
    Quatro lenços de vento. Quatro rosas tardias.
    Eram quatro forcas. Eram quatro nós.

    Eram quatro letras com rasto de lume.
    Quatro olhos acesos na boca da noite.
    Quatro harpas cantando a hora de um crime.
    Eram quatro farpas. Eram quatro açoites.

    Quatro balas. Quatro. Eram quatro, sim.
    Eram quatro servos. E quatro chicotes.
    Eram quatro cabeças. E quatro garrotes.
    Eram sempre quatro os gritos que ouvi.

    Quatro rosas negras. Quatro armas brancas.
    Quatro luas velhas. Quatro aves de sono.
    Quatro feridas sujas. Quatro hienas mortas.
    Eram quatro lobos. Quatro cães sem dono.

    Eram quatro. Eram quatro. Agora me lembro
    das vozes gritando ao longo do tejo.
    Eram quatro gaivotas no céu de Novembro.
    Quatro mãos em sangue que agora não vejo.

    Eram quatro copos. Eram quatro taças.
    Eram quatro algemas. Eram quatro espadas.
    Eram quatro pombas quase esfaceladas.
    Eram quatro risos. E quatro desgraças.

    Eram quatro, sim. Eram sempre quatro
    as feridas abertas na palma da mão.
    Eram quatro janelas fechadas no quarto.
    Eram quatro loucos com olhos de cão.

    Eram quatro tempos num tempo de medo.
    Eram quatro, eram, as larvas do tédio.
    Eram quatro mortes todas em segredo.
    Eram quatro vidas todas sem remédio.

    Foram sempre quatro as lutas que eu tive
    com quatro cavalos qual deles o mais forte.
    Quatro razões certas por quem um homem vive
    sem temer os quatro cavalos da morte.

    (clicar nas imagens para ver em tamanho maior)

    SEMANA DA LIBERDADE


    Durante esta semana o Departamento de Humanidades organiza actividades de música, teatro, poesia, cinema, escrita, relativas à temática da Liberdade tendo como pano de fundo o 25 de Abril.
    A reportagem fotográfica de algumas actividades e dos cartazes alusivos ao tema, feitos pel@s alun@s, em exposição por toda a escola, segue ao longo da semana.
    Chamo, para nos fazer companhia, esse Grande pedagogo do séc. XX, Paulo Freire, que pautou toda a sua actividade pedagógica centrada na libertação da Pessoa a partir da Educação. Somos mais livres se sabemos ler e escrever; somos mais livres se sabemos mais; somos mais livres se podemos escolher; somos mais livres se não temos medo de nos realizarmos. Ser livre é ter sempre um caminho pela frente. E a Escola tem que fazer necessariamente parte desse caminho.

    Dia da Terra


    As notícias sobre o planeta não são as melhores no dia em que se comemora o Dia Mundial da Terra. A temperatura em todo o mundo está a aumentar graças ao dióxido de carbono que os homens enviam todos os dias para a atmosfera. O alerta chega da comunidade científica que é bem clara ao afirmar que este aumento de temperatura irá provocar até ao ano de 2050 a extinção de milhares de espécies animais. Mas há mais avisos e todos eles preocupantes. As águas dos oceanos vão subir e provocar grandes inundações em diversos pontos do planeta e daí que muitas das cidades que se encontram em zonas costeiras sejam alvo de risco sério de destruição. Outro dos alertas que surge neste Dia Mundial da Terra tem a ver com as doenças tropicais que devem aumentar em larga escala e dar origem a um surto de epidemias, mesmo em regiões onde este tipo de doenças já foi erradicado.

    segunda-feira, abril 21, 2008

    Dia do Livro 23 de Abril


    O Dia do Livro na Catalunha é celebrado de forma muito especial. No dia 23 de Abril os homens oferecem rosas às mulheres e estas oferecem livros aos homens. a tradição baseia-se na lenda de São Jorge ou Sant Jordi (ver www.escuelai.com/spanish-culture/fiestas-espanolas/diadellibro.html). Entre o dia 20 e o dia 23 a Catalunha espera vender 23 milhões de euros em livros.

    domingo, abril 20, 2008

    O que ele anda a ler!



    É um livro de fácil leitura apesar das inúmeras referências a conceitos de Física e de Matemática.

    O autor faz uma interpretação do Livro de Génesis, onde é feita a descrição da origem do Universo, de uma forma relativista que achei particularmente interessante.

    A Fórmula de Deus, José Rodrigues dos Santos

    Vítor Gonçalves

    quinta-feira, abril 17, 2008

    OS CANTOS DA CASA - I

    Eles merecem ser vistos. E LIDOS, acima de tudo.

    O CANTINHO DAS REVISTAS


    Sossegado. Agradável. Acolhedor. E com o "Mundo"aos pés.
    Outra rede.
    De informação e entretenimento.
    Jornais e revistas nacionais e internacionais: educação, literatura, ciências, política, desporto, informática, música, televisão...

    O que ela anda a ler!


    Este é o livro que estou a ler actualmente e despertou-me a atenção primeiramente devido ao seu título. Penso que é um livro que muitos jovens deviam ler, pois aborda muitos temas com os quais muitos de nós nos debatemos, principalmente nesta fase da vida (adolescência). O caso de Violetta demonstra-nos a realização de um "sonho", que não a levou por bons caminhos e de certa forma alerta-nos para a maneira como encaramos a vida e reagimos aos actos das pessoas que nos rodeiam. Vale a pena ler !
    O Diabo que nos Guarda, Xavier Velasco

    Excerto significativo:
    "Nada queria dizer: um infinito eterno, vazio e sem propósito ao qual se voltaria, como o vento e o pó, depois de morrer. Isso era O pensamento: nada. (...) Nem sequer sabia se ela o levaria a sério. Há coisas que não se podem contar aos adultos. Também não se podem contar a nós quando crescemos e nos tornamos adultos, pois nessa altura já aprendemos a arrepender-nos de as ter pensado, acreditado, temido, e assim as enterramos no subsolo da memória: onde nunca há que escarvar. As pessoas adultas envergonham-se da sua infância como da sua inocência, e depois também da sua juventude, porque o mais fácil e o mais cómodo e o de mais bom gosto é esquecer a tempo o que já não se tem."

    Cláudia Bonança, 11º TB

    quarta-feira, abril 16, 2008

    António Lopes Ribeiro


    Modus Vivendi


    Vivo os meus sonhos

    E não tive jamais pesadelos medonhos,

    Porque acredito em Deus e não receio o fim.

    E como só procuro fazer bem,

    Eu creio que também

    Deus acredita em mim.


    (António Lopes Ribeiro, realizador de O Pai Tirano e O Pátio das Cantigas, entre outros filmes, poeta. 16 de Abril de 1908 - 14 de Abril 1995)